Noticias

Por que a Apple lançou um processador de 64-bits no iPhone 5S?

processador-a7-64-bits
Escrito por André Darugna

Na semana passada conhecemos muitas das novidades preparadas pela Apple neste ano de 2013, uma delas foi o colorido iPhone 5C, uma versão com nova carcaça do iPhone 5, onde manteve o hardware mas apontou a um novo público, mais jovem e descontraído.

Também conhecemos o iPhone 5S, o primeiro smartphone 64-bits do mercado, a presença deste novo processador surpreendeu muitos, inclusive os desenvolvedores que agora contam com um novo desafio, adaptar seus aplicativos para o novo tipo de processador.

Mas afinal, o que motivou a Apple a investir nessa tecnologia?

iPhone 5S e seu processador de 64-bits

Detalhes do processador A7 de 64-bits no lançamento do iPhone 5S.

Detalhes do processador A7 de 64-bits no lançamento do iPhone 5S.

A equipe de criação da Apple sempre se caracterizou pela inovação, em meio a tantos rumores, uma das novidades não escapou e não repercutiu na mídia, que é a implementação dos chips de 64-bits, um hardware de rendimento superior, top de linha e um dos mais potentes do mercado.

Mas o que motivou esta implementação? Como podemos observar, a Apple acredita que este novo processador oferece vantagens imensas sobre os processadores de 32-bits, e isso vai muito além da capacidade e potência.

Estamos falando de um chip mais rápido, evidentemente, mas também que oferece melhorias no que se refere ao processamento gráfico e duração da bateria.

O processamento em 64-bits do A7, certamente é o grande diferencial do iPhone 5S em relação aos concorrentes, um processador incrível que permitirá a gigante de Cupertino incorporar mais de 4GB de memória RAM aos aparelhos nos próximos anos.

O iPhone 5S é bastante mais rápido que seu antecessor, o iPhone 5, por essa razão também o dobro mais rápido que o iPhone 5C, que adotou o mesmo hardware do anterior, este processador permite que o smartphone trabalhe muito melhor e ainda economize bateria.

Jogos e Aplicativos compatíveis com desktops

O grande motivo da implementação do A7 com 64-bits, que possui uma arquitetura ARMv8 é a capacidade de aceitar memória RAM de até 4GB, isso facilitaria a criação de jogos e aplicativos mais pesados, compatíveis com a indústria de computadores desktop atual.

Dessa forma podemos esperar certamente a implementação deste mesmo processador no iPad 5, que deve ser apresentado ao público no mês de outubro. Com o uso desta mesma tecnologia no iPad poderemos chegar a conhecer um autêntico video-game moderno e portátil, que deverá brigar com os grandes do mercado graças ao poder de processamento 3D que oferece.

Desempenho do processador A7 de 64-bits em relação aos processadores anteriores.

Desempenho do processador A7 de 64-bits em relação aos processadores anteriores.

Ainda, existem portais que especulam que num futuro próximo possamos ver aplicativos do Mac OS X sendo levados para o iOS sem nenhum problema, já que a arquitetura da informação será muito similar.

Ao serem desenvolvidos com esta mesma estrutura os desenvolvedores poderiam adaptar os aplicativos do Mac para o sistema móvel da Apple, fazendo com que o ecossistema fique ainda mais polido e funcional.

A concorrência já anunciou que trabalhará em processadores 64-bits nos próximos meses, aos que pediam por inovação, a Apple mostrou que ela não está somente nos “enfeites” dos aparelhos, mas sim por dentro, fazendo que o conjunto todo possa evoluir de forma muito mais sustentável.

Debate:

  • O que você achou do processador A7 de 64-bits?
  • Acredita que o iPad 5 possa também tirar proveito dessa inovação?

Até já.

Sobre o autor

André Darugna

Blogueiro fundador do iPad Dicas e Viagens Dicas, formado em Comunicação e vencedor de 2 prêmios Top Blog.

14 comentários

  • Bem, eu discordo de todas as motivações que levaram a apple a caminhar para os 64bits (pelo menos das que eu lí).

    Para mim, na realidade, a apple foi para os 64bits por marketing. Sim, marketing. Fundamento a minha conclusão a seguir:

    http://adrenaline.uol.com.br/tecnologia/noticias/16212/arm-cortex-a57-64-bits-e-16nm-entra-em-fase-avancada-para-producao.html

    A ARM (que licencia sua arquitetura de chips para apple, samsung, qualconn, etc…) anunciou em 2012 que tinha uma arquitetura de 64bits quase pronta para dispositivos móveis. A reportagem acima é deste ano, com um chip já em fase final.

    Ora, com a arquitetura de 64bits pronta, e já licenciada a VÁRIAS empresas, seria questão de tempo até uma delas fabricar seu chip de 64bits. Principalmente qualconn e samsung, que adoram se vangloriar pela potência de seus chips.

    Acredito que com tantas reclamações de falta de inovação, a apple viu a oportunidade de lançar um chip destes antes da concorrência como uma forma de manter o rótulo de inovadora. Isto é mais do que válido, mas não deixa de ser marketing.

    Para refletir: um iphone com 1gb de RAM e um dual core tosco a 1.3ghz (32bits) roda tudo sem engasgar. É necessário pular para 64bits se não foi alcançado o “cap” de 4gb de RAM? A resposta provavelmente é não. Aumentar o clock do dual core já dava conta, se o objetivo é processamento extra.

    Quanto ao processamento de aplicações desktop, o impacto disto só vai ser sentido daqui a anos. Bem, até lá você já não vai estar mais com um 5s na mão. Essa “deixa” foi da propria apple :P
    Justifico:

    A apple diz que o a7 é 2x mais rápido que o a6. Pergunto eu: SÓ 2x???
    Um chip com 2x a velocidade do a6 não tem clock p/ rodar aplicações desktop sem engasgar! Independente de ser 64bits ou não…
    Se fosse um dual core 2.0+, ai sim… MAS… aí ele seria muito + rapido que o a6, e não so 2x :P

    Se você discorda, e acha que a apple vai “forçar” o uso de apps que rodem no “limite” de potência dos 64bits do a7, pense comigo:
    Por mais que você, dono do 5s, queira apps que só rodem nele, a maioria dos iphones do mundo só rodam apps de 32bits.
    Quem faz os apps, são os desenvolvedores, e estes querem atingir o maior numero de pessoas possível com seus apps.
    Do ponto de vista de um desenvolvedor, não faz sentido lançar um app que exige o maximo do 5s, e não roda nos outros.
    Observe que todos os iphones (em venda) vão ser de 64bits, no mínimo, no final de 2015. Lembre que no final de 2015, muita gente ainda vai ter iphones 5 e 5c, que não vão rodar esses apps. Então na real, o proveito total dos 64bit só vai ser sentido em 2016+ o.O

    Eu não posso dizer o mesmo dos androids. O Gnote vai ser lançado com 3gb de RAM, e é de se esperar que os flagships android tenham 4gb de ram no ano que vem, tendo necessidade de serem 64bits.
    Nem estou contando o “marketing” de samsung &cia de lançar telefones com hardware top. Flagship com 32bits no ano que vem não vai vender haha…

    O moto X mostra que androids não precisam de quadcores. Acredito que o mesmo se aplica a iphones, mas no sentido de que eles não precisam de 64bits.

    É aquela história… Não precisa, mas se veio, é lucro :)

    Att.

  • Quero primeiro agradecer ao editor do blog pelas suas publicações coerentes que fazem com que eu siga constantemente o Blog. Penso que essa nova arquitetura visa maior processamento com ganho de autonomia da bateria, o grande diferencial dos smartphone atualmente, pois nada adianta um processamento ao nível de computadores se ao usar o que estar sendo oferecido lhe deixar na mão. Talvez essa estrutura tenha mais sentido no iPad do que no iphone. O iphone 4s não deixa a deixar em funcionalidade como smartphone, apesar de existirem outros maiores processadores. Se o iphone 5c ganhar autonomia de bateria tonar-se ao meu ver smartphone de tamanho ideal, já que tenho um um iPad.

  • Eu acho muito interessante existir um telefone com o poder de processamento comparável ao de um computador. Mas pra quem não é um fã de jogos pra celular, não vejo muita vantagem. Inovação mesmo seria ter lançado uma bateria com duração extraordinária em uso. Isso faria a grande diferença, na minha humilde opinião.

    • Concordo, Daniel, aumentou a capacidade de processamento, a memória ram, mas a bateria permanece praticamente a mesma desde o iphone 4. Seria ótimo ter um iphone que ficasse pelo menos uma semana longe da tomada.

    • Concordo que a autonomia da bateria seja um desafio a parte para todas as fabricantes, mas com esse processador a eficiência do aparelho também aumenta,o celular pode até não “guardar” mais energia na bateria, porém ele vai passar a “gastar” menos.

    • Olá amigo, tudo bem?
      Se o modelo for comprado no Brasil sim, caso for comprado fora você precisará do adaptador de tomada, padrão antigo (americano) para padrão novo.
      Eu compraria o iPad mini 16GB com 3G pelo fato de além de poder conectar de onde você estiver, ser o único que tem GPS.
      Ressalto que o iPad mini somente Wi-Fi não tem GPS, ou seja, não poderá ser utilizado para navegação curva-a-curva, algo que é muito interessante pois com um suporte para vidro você conseguirá aproveitar seu iPad ao máximo no carro, tendo em vista que seu tamanho de tela lhe dá um conforto enorme para essa funcionalidade.

    • Lucas, eu tenho o Ipad Mini de 32GB e 3G, comprei na Claro e paguei uma diferença de R$200,00 para ter o dobro de capacidade. Eu já utilizei a metade da capacidade, ou seja, ainda tenho 16GB disponível. E tenho internet de 1g da claro. Que por sinal me surpreendeu e tem me agradado muito mesmo, nunca me deixou na mão até hoje. E realmente sou da mesma opnião que o André Darugna, para você ter um melhor aproveitamento do seu Ipad Mini, pegue um 3G.

      Att.

  • Amigo, interessante o post, porém alguns dos pontos não tem fundamento. Os 64 bits serão significativos no consumo da bateria e desempenho, como você mesmo disse. Porém, isso não influencia diretamente no processamento 3D do dispositivo, uma vez que boa parte do processamento gráfico é tratado pela GPU, e a CPU se beneficiária por poder colocar mais informações para trabalhar em conjunto com a primeira.
    Além disso, o fato da arquitetura ser a mesma utilizada em desktops/notebooks não significa que a adaptação será significativamente mais rápida. Apesar de ambos serem de 64 bits, tablets/celulares são construídos na arquitetura ARM, enquanto os outros são feitos na arquitetura x86. Dessa forma, muitos dos parâmetros ainda terão de ser alterados, bem como toda a aplicação recompilada.

  • Processadores 64 bit são ótimos para socar mais memória em um PC e ficar se gabando para os amigos leigos, em um celular que ainda não rompeu os 3gb de RAM é …. Bem, não existe adjetivo para esse absurdo que só serve pra fragmentar a plataforma com um ou outro app que só vai funcionar no processador novo, ou não ja que nem nos desktop existe um numero significativo de aplicativos 64bit, a maior parte da suite iLife da própria Apple para mac não é 64bit.

  • É isso aí, por possuir um i5 aguardarei o desempenho e novos desenvolvimentos, para num próximo lançamento de iphone poder me atualizar nessa grande inovação se falando em processadores.