Livros

Vale a pena comprar um livro digital no Brasil? Análise dos preços da iBookstore.

impresso-vs-digital
Escrito por André Darugna

Olá amigos, a iBookstore chegou ao país recentemente, com isto cresce o interesse de todos os usuários em adquirir exemplares dos livros digitais para iPad. Atualmente muito se fala sobre a política dos preços praticados na loja, por esta razão no dia de hoje me propus a refletir sobre a realidade do mercado local, fazer um comparativo de preços e chegar a uma conclusão que pudesse ajudar os companheiros a escolher por um livro impresso ou um livro digital.

É fato que não existe ciência nisto, cada editora é livre para praticar o preço que bem entender nos exemplares que representa, sejam eles impressos ou digitais. Sabemos no entanto que distribuir um livro impresso implica em gastos de impressão e logística, por outro lado os livros digitais passam também por um processo de editoração diferenciado, será que o preço dos livros digitais da iBookstore brasileira são justos?

Leitura complementar:

Acompanhe meu raciocínio e compartilhe sua forma de pensar, sei que dificilmente todos estaremos de acordo uns com os outros, mas tratemos de levar o diálogo além e quem sabe esta discussão não faça algumas editoras refletirem sobre suas estratégias, não é mesmo?

Os livros digitais são mais baratos que os impressos

Livros digitais são mais econômicosPois bem, gostaria de começar com essa afirmação, mas ela é verdadeira somente em boa parte dos títulos disponíveis, minha análise foi feita considerando uma amostragem muito pequena mas que serve para ilustrar uma linha de raciocínio que poderá lhe esclarecer muito sobre os valores dos livros digitais e impressos no Brasil. Quer saber como tirei esta conclusão?

Escolhi aleatoriamente 5 exemplares vendidos na iBookstore do iPad, são livros digitais vendidos pela Apple em sua loja de ebooks para dispositivos iOS, também encontrei o preço destes mesmos exemplares em sites da internet (utilizei o Google para pesquisar e cliquei no primeiro resultado de cada livro).

De acordo com minha técnica? É somente ilustrativa, não há nada de ciência, vamos no final desta parte tirar uma pequena conclusão.

Os livros na iBookstore são comercializados em dólares, portanto vou utilizar a cotação aproximada do dia R$2,05 e acrescentar o IOF 6,38% para compras realizadas no exterior.

Cinquenta Tons de Cinza
Cinquenta Tons de Cinza (AppStore Link)
Preço: USD 9.99
Escritor(a): E L James
Categoria: Livros - Ficção e literatura
Descrição na App Store:
Quando Anastasia Steele entrevista o jovem empresário Christian Grey, descobre nele um homem atraente, brilhante e profundamente dominador. Ingênua e inocente, Ana se surpreende ao perceber que, a despeito da enigmática reserva de Grey, está desesperadamente atraída por ele. Incapaz de resistir à beleza discreta, à timidez e ao espírito independente de Ana, Grey admite que também a deseja — mas em seus próprios termos. Chocada e ao mesmo tempo seduzida pelas estranhas preferências de Grey, Ana hesita. Por trás da fachada de sucesso — os negócios multinacionais, a vasta fortuna, a amada família —, Grey é um homem atormentado por demônios do passado e consumido pela necessidade de controle. Quando eles embarcam num apaixonado e sensual caso de amor, Ana não só descobre mais sobre seus próprios desejos, como também sobre os segredos obscuros que Grey tenta manter escondidos...
O livro Cinquenta Tons de Cinza do autor E. L. James é um grande sucesso de ficção e literatura, na iBookstore custa $12.99, aplicando nosso cálculo 12,99 x 2,05 x 1,0638 chegamos num custo aproximado de R$28,32.

O mesmo livro, versão impressa na Livraria da Folha custa R$29,90. ?

Resultado:
O livro digital custa R$1,58 mais barato. Não esqueçam ainda que este é o custo na loja, você precisará pagar pelo frete que para meu CEP (em Santa Catarina) é de R$7,69, somando um total de R$37,59 ou seja R$9,27 (32%) mais caro que o digital e ainda esperar até 5 dias úteis se a entrega não atrasar.

[!] Desculpe: Aplicativo removido da App Store

Um Homem de Sorte, de Nicholas Sparks é outro excelente título disponível na iBookstore brasileira, seu custo na loja digital é $10.99, aplicando nosso cálculo de conversão 10,99 x 2,05 x 1,0638 chegaremos num custo aproximado de R$23,96.

Este mesmo livro, que encontrei na primeira posição do Google custa na Saraiva R$19,90 preço promocional (preço normal R$29,90).

Resultado:
Tomemos o preço promocional como oficial, o livro impresso custa R$4,06 mais barato, devemos porém, incluir o custo do frete que para meu CEP (em SC) acrescentou R$10,91, sendo que o valor final do livro impresso fica em R$30,81. Mais uma vez o livro impresso resultou mais caro que o digital: R$6,85 (22%).

Anderson Spider Silva
Anderson Spider Silva (AppStore Link)
Preço: USD 4.99
Escritor(a): Anderson Silva
Categoria: Livros - Biografias e memórias
Descrição na App Store:
EDIÇÃO ATUALIZADA COM CAPÍTULO SOBRE A REVANCHE DO SÉCULO CONTRA CHAEL SONNEN O esporte brasileiro não conhecia um ídolo internacional da envergadura de Anderson Silva desde os tempos de Ayrton Senna e Gustavo Kuerten. Dono de um carisma único, o Aranha foge ao estereótipo do lutador truculento e falastrão. É tranquilo e infalível como Bruce Lee. Suave como um monge budista, é capaz de produzir os nocautes mais espetaculares do UFC e, minutos depois, se curvar em reverência aos adversários. Impávido como Muhammad Ali, não dispensa máscaras nem cremes faciais. Intimida os adversários com o olhar e acolhe os fãs com delicadeza. A voz é de quem sussurra um segredo no ouvido. Por falar em segredos, aqui estão todos eles. Em depoimento ao jornalista Eduardo Ohata, Anderson Silva mostra que a vida pode ser tão perigosa quanto um grande combate. É impossível não reverenciar o ídolo que nocauteou o destino e se tornou um campeão nos ringues e na vida.
O livro do novo grande herói brasileiro, Anderson Spider Silva, possui na loja virtual da Apple um custo também de $10.99, utilizando a mesma métrica do exemplo anterior temos R$23,96 aproximadamente.

Pois bem, este livro é bastante popular e em várias lojas está esgotado, encontrei portanto na Livrarias Curitiba, ao preço de R$29,90.

Resultado:
O livro impresso é R$5,94 mais caro, mas isto ainda sem incluir o frete que para minha cidade em Santa Catarina ficou em R$10,03, somando R$39,93. São no total R$15,97 (40%) a mais do que a versão digital.

O monge que vendeu sua Ferrari
O monge que vendeu sua Ferrari (AppStore Link)
Preço: USD 7.99
Escritor(a): Robin Sharma
Categoria: Livros - Autoajuda
Descrição na App Store:
Quando Julian Mantle, o maior advogado do país, resolve abandonar tudo para fazer uma peregrinação pela Índia, seu assistente John acha que ele não aguentou a pressão e enlouqueceu. Mas quando Julian volta três anos depois, mais jovem, esbelto e radiante, praticamente irreconhecível, John é tomado por muitos questionamentos.
Típico profissional batalhador, John trabalha muito, volta tarde para casa, e persegue o sonho da liberdade financeira. Mas vive cansado, não tem tempo para nada e raramente se diverte. O reencontro com seu antigo mentor o faz querer descobrir como o advogado ganancioso e arrogante que ganhava todos os processos no tribunal se transformou em um monge sábio e sereno.
A conversa entre o advogado que virou monge e o seu antigo assistente é o fio condutor de O monge que vendeu sua Ferrari, primeiro sucesso de Robin Sharma, autoridade mundial em desenvolvimento pessoal e autor de vários best-sellers do gênero. Por meio das revelações de Julian, Sharma ensina técnicas simples e sábias sobre como preencher a mente com pensamentos positivos, cultivar os relacionamentos e viver plenamente no presente, um dia de cada vez.
O Monge que vendeu sua Ferrari é também um título muito procurado na loja de livros da Apple, principalmente pelos interessados em casos de administração. Bom, o ebook na iBookstore custa $9.99, passando por minha fórmula de conversão 9,99 x 2,05 x 1,0638 temos nada menos que R$21,78.

Na Saraiva online você encontra ele por R$20,90, mas, nem tudo o que brilha é ouro e temos infelizmente que somar o frete, que para minha localidade foi de R$10,42. Preço final do livro impresso R$31,32.

Resultado: O livro digital é R$9,54 (30%) mais barato.

Irmandade
Irmandade (AppStore Link)
Preço: USD 9.99
Escritor(a): Oliver Bowden
Categoria: Livros - Ação e aventura
Descrição na App Store:
Roma, outrora poderosa, jaz em ruínas. A cidade está impregnada de sofrimento e degradação, os seus cidadãos vivem sob a sombra da impiedosa família dos Bórgia. Apenas um homem poderá libertar o povo da tirania Bórgia: Ezio Auditore, o Mestre Assassino. A demanda de Ezio irá testá-lo até aos seus limites. César Bórgia, um homem mais malévolo e perigoso que o seu pai, o Papa, não descansará enquanto não tiver conquistado Itália. Nestes tempos tão traiçoeiros, a conspiração está por todo o lado, até no meio da própria Irmandade...
O Assassin’s Creed, irmandade é um excelente livro para quem gosta de histórias de civilizações antigas, na loja de ebook para iPad você consegue comprá-lo por $12.99, usando minha fórmula mágica (também válida para aplicativos, esse cálculo é bom!) ficariam 12,99 x 2,05 x 1,0638 um custo em reais de R$28,32.

Na Saraiva ele sai por R$23,70 na promoção, o preço normal é R$34,90.

Resultado:
Considerando o preço promocional, são R$23,70, some o frete de R$11,09 e você terá seu livro impresso por R$34,79, ou seja, o livro digital é R$6,47 (18%) mais barato.

Pontos a serem considerados

Pontos a serem considerados
Primeiro uma curiosidade, a Saraiva, com sua loja online de livros, praticamente sai em primeiro resultado de busca para todos os exemplares pesquisados, o mais simpático é que todos os títulos estão em promoção, calculei os preços acima utilizando justamente este que é o preço mais barato. Mas, nas concorrentes o preço oficial é relativamente mais alto.

Será que a Saraiva está em campanha para baratear os livros impressos a fim de iguala-los com os ebooks vendidos pela Apple? Não seria de se estranhar, ela certamente não quer desacelerar suas vendas.

Mas, no fim das contas não devemos somente focar em economia, escolher um livro digital ou impresso é também uma questão de gosto, eu por exemplo, estou super acostumado com os impressos e confesso que terei de passar por um período de transição até me criar gosto pelos ebooks.

Há também que se considerar que nem todos os títulos de nosso interesse estão presentes na iBookstore, portanto, algumas vezes a única opção será o impresso.

Sou grande admirador da Apple e certamente adotarei os livros digitais presentes na loja, primeiramente por não residir no Brasil, antes só comprava livros quando viajava, e voltava com uma mochila cheia.

Mas há ocasiões que não são tão radicais como a minha, mesmo você que mora no Brasil poderá encontrar boas razões para escolher pelo livro digital, enumerarei elas abaixo:

  • Tempo é dinheiro, um livro digital você recebe na hora, sem sair de casa;
  • Peso, os livros digitais não pesam e você os leva sempre consigo;
  • São duradouros, não tenha medo de que com o tempo eles fiquem velhos, o futuro são os leitores digitais, mesmo que troque ou venda seu iPad de hoje, você sempre terá um novo leitor a disposição, acredite!

Algumas pessoas dirão que se comprarem na livraria física pelo menos vão comprar mais barato, claro, se você já estiver nela sim. Mas, se quiser comprar um livro, pense na vontade de comprá-lo neste exato momento, terá que pegar seu carro (ou transporte público), considerar o combustível (R$2,69 o litro), considerar o estacionamento de shopping (R$5), e claro, seu tempo.

Pronto, saiu mais caro que comprar em casa, não é mesmo? Por esta razão as lojas virtuais se popularizaram tanto em nosso país, mas elas ainda precisam enviar-lhe o produto pelos correios ou transportadora, seu livro chegaria em dias.

Considerações finais

Não quero com isto forçar todos vocês a acreditarem em mim e nunca mais comprarem um livro impresso, muito pelo contrário, estou somente expondo um questionamento popular: o preço “alto” dos livros digitais.

Não sou nenhum expert em finanças nem mesmo conheço toda a logística que implica vender um livro impresso ou digital, mas tenho entendido que para vender um livro na iBookstore você precisa cumprir certos requisitos, entre eles ter uma empresa instalada nos Estados Unidos.

Eu também sou favorável a que os preços sejam ainda mais baixos, mas me parece errado o julgamento do valor de um livro pelo “papel e impressão”, ou talvez pela logística, o custo de um livro deveria ser baseado no valor intelectual da obra.

Termos um livro digital a nossa disposição nos traz benefícios e eles também podem ser de valor agregado, a praticidade de comprar “na hora” e receber “na hora” é para mim o benefício mais importante. Temos também um completo aplicativo que nos permite marcar páginas e consultá-las facilmente, pesquisar palavras num buscador, marcar palavras com um destaca-texto virtual e com tinta interminável.

Quero com esta reflexão juntar-nos todos e entrarmos em um diálogo sobre esta realidade, os livros digitais não são mais caros, poderiam ser ainda mais baratos mas valem a pena. Agora a questão é: “gosto”.

Eu adoro livros de papel e vou brigar comigo mesmo para poder iniciar-me na leitura ebooks, não serei fechado, darei à tecnologia a oportunidade de me convencer de que os ebooks valem a pena.

E vocês? O que opinam de tudo isto?

Sobre o autor

André Darugna

Blogueiro fundador do iPad Dicas e Viagens Dicas, formado em Comunicação e vencedor de 2 prêmios Top Blog.

93 comentários

  • Estou mudando muito minha cabeça para com os livros digitais principalmente os de referência. Fiz uma experiência com a ibookstore. Comprei dois livros e gostei. Mas ontem ao atualizar o ios para o 6.01 (já era o 6), e fazer um backup e sincronizaçao, os dois livros ficam em estado de “comprado”, mas não baixam. Já apaguei os livros. Já apaguei o ibooks (app) e nada. Agora é tentar o suporte da apple. Estou só relatando aqui, pois pelo que vi na Internet, ninguem relata algo parecido, logo deve ser alguma coisa na minha conta, sei lá. Mas isto não inviabiliza o conceito de eBooks. Talvez a ibookstore, infelizmente.

  • Por que a Apple mesmo tendo milhões de clientes no Basil, não permite que os pagamentos sejam feitos em R$ e não em US$?
    Posso comprar ebooks em outras lojas virtuais e ler no iBooks?
    Obrigado pela atenção e parabéns pelo excelente blog.

  • Pessoal,
    Eu já estou muito adaptado aos livros digitais, mas ainda uso as duas opções.
    Alguns pontos:
    – Para quem viaja muito de avião (como é meu caso), é muito chato esse negócio de desligar os aparelhos eletrônicos. Portanto, sempre tenho um pequeno livro para esses momentos.
    – Para quem anda de onibus, pode ficar meio perigoso puxar o ipad da mochila … mesmo que seja muito desaconselhável ler no onibus !

    Em compensação …
    – Não preciso de abajur ligado pra ler antes de dormir
    – Não preciso carregar uma bíblia comigo (imagina o livro do Steve Jobs, último que li)
    – A marcação de texto é sensacional
    – As notas, para livros profissionais ou acadêmicos, é uma benção dos deuses
    – A opção por almentar ou diminuir o tamanho da fonte também ajuda muito

    Enfim … uso os dois. Cada um dentro dentro de suas próprias características.

    abçs,
    Rodrigo Rosa

  • Quando viajei para o exterior, comprei “Cinqüenta Tons de Cinza” pela Saraiva Digital. Essa minha experiência não foi muito boa porque as vezes o programa travava ou, quando estava sem conexão com a internet, ele não abria. Não sei se o app da Apple é diferente.

  • Sou um grande apreciador de livros. Ainda guardo as obras físicas na minha estante, porém tenho aproveitado a possibilidade de ler pelo iPad para reiniciar minha biblioteca pessoal. Vê-la ganhando forma da estaca zero, selecionando cada livro, cada autor ainda não lido, é reviver uma experiência muito interessante. Indico veementemente àqueles que gostam e valorizam a leitura.

  • Olá André,

    Esse é o meu primeiro Post aqui no iPadDicas, mas devo confessar que acompanho seu blog desde que quando comprei meu iPad 2 logo quando foi lançado.

    De la pra cá, o seu blog me ensinou e tem me ajudado em varias “dificuldades” com o iOS e assim eu além de frequentar seu blog frequentemente em busca de dicas também indico ele para as pessoas que estão com duvidas no seu Apple.

    Em se tratando da matéria acima sobre os livros digitais, eu venho aqui querer fazer o merchandising do meu site: http://www.ebookcult, que é uma referencia na internet brasileira, quando se fala em Livros digitais, primeiro pelo tempo ( está no ar há mais de 10 anos) e segundo pela quantidade de obras gratuitas (mais de 150.000) e comerciais ( mais de 8.000)… enfim acredito que interessante você dar uma olhada.

    Para ler os nossos ebooks no iPad, iPhone ou iPod nós recomendamos o BlueFire, que inclusive você já comentou a respeito.

    Parabéns pelo site!

  • Penso o seguinte: a obra física tem um valor agregado muito maior. A questão do empréstimo, da disponibilidade absoluta (não depende do dispositivo, de carga, etc), além do feeling de segurar o livro na mão.

    Como você mesmo disse, as obras digitais não tem custo de mão de obra, nem de logística, distribuição ou armazenamento (até tem, mas de uma forma reduzida e diferenciada), e em função disso acredito que deveriam ser bem mais baratas. Acredito que o que está sendo praticado hoje é em grande parte pelo “boom” do lançamento, por estar na moda. Eu sinceramente prefiro ir até a livraria e assim não pagar frete e comprar dois ou mais de uma só vez. Nesse caso, a econômia é bem considerável.

  • Parabéns pela matéria: Deixe só eu levantar uma bola: Quando você acaba de ler o livro físico o que faz? Doa para alguém que pediu emprestado? (Não há empréstimo de livro para amigos, você perde um ou outro – risos) Doa para uma biblioteca? Vende para o sebo (virtual)? Faz fogueirinha de papel? Tente fazer qualquer uma das alternativas com um livro digital… A confusão é grande!

    • Um livro impresso eu guardo em minha biblioteca pessoal, que vai aumentando com o tempo. Ainda sou daqueles que adoram colecionar livros. Mas, acredito que com o tempo a conveniência dos livros digitais me fará abandonar isso. Como citei no texto, darei uma oportunidade aos ebooks e espero que eles me surpreendam.

      Um abraço.

    • Existem livros e livros. Os livros “descartáveis”, da moda, tais como os de diversos tons de alguma cor qualquer, certamente são lidos e depois descartados de alguma forma. Mas existem livros que se guardam. E existem livros que são de referência, de uso de pesquisadores, professores, estudiosos de determinado assunto. Eu tenho formado uma opinião de que estes livros de referência são os mais candidatos a serem usados no formato eBooks. Eu estou em formato de preparação de trabalho para pós graduação. São diversos livros em papel. A vontade que tenho é mandar digitalizar todos eles, pois eu viajo a trabalho. Ou eu levo aquele peso todo ou então dou uma pausa. O mundo evolui e com eles as midias. A vida é assim.

  • Sempre gostei de ler, muitas vezes 2 livros ao mesmo tempo. Confesso q c/a entrada da internet e dos seriados na minha vida, abandonei esse prazer. Voltei a ler livros digitais e estou adorando a reconquista desse hábito. comprei 10 em um mês. Não carregar peso, não me preocupar c/espaço na estante e ler sempre na tela iluminada, são as principais vantagens, nem me preocupo se são mais caros ou não. Abç,

  • Olá, Andre.
    Bem fiz essa mesma pergunta há um tempo, quando comprei o meu Ipad e depois de muita pesquisa eu cheguei a uma conclusão diferente, a de que não vale a pena (acho um absurdo uma economia de 5 reais em um livro digital), a única livraria que vale a pena à compra é Amazon nos formatos kindle edition, pena que não leio em inglês.

  • Achei bacana os argumentos usados, bicho. Mas curiosamente depois que comprei meu iPad , passei a comprar mais livros impressos. Mas só compro em promoções, sebos, etc. Então acabo pagando mais ou menos o mesmo preço dos eBooks. Mas por outro lado eu adoro os eBooks por conta de sua praticidade.

    Só acho que eles poderiam ser ainda mais baratos, pois eu não compreendo como em nosso país os livros serem tão caros. Isso porque no Brasil o livro não tem tributação. Então acho que as editoras estão faturando muito alto às nossas custas.

  • Sem entrar no detalhe de tudo que já foi dito, vc considerou também o lado ecológico do assunto? Utilizando mais o livro digital e imprimindo menos papel estaremos contribuindo com a redução do desmatamento e o efeito estufa causado pelas industrias altamente contaminantes que o produzem. Só este fato já me convence a utilizar midias digitais. O que já se faz em grande escala nas empresas com a utilização do email , arquivos PDF e armazenamento na nuvem evitando o uso da impressora por qualquer motivo ou o uso de fotos digitais que não se imprimem mais praticamente, vc a leva a qualquer parte e compartilha sem a necessidade do papel.
    Creio que para tudo na nossa vida a convergência é digital, é o futuro.

  • Boa noite, André , interessante seu ponto. Mas temos outras coisas a considerar quando comparamos livros impressos e digitais. Concordo com você no caso de economia de papel, impressão e Logistica, mas no livro digital devemos acrescentar custos de armazenamento (servidores), banda, equipe de. TI, de segurança de rede e por aí vai. Talvez por essas raz?es a análise apenas de fatores comentados seja fraca. Acho que a facilidade de obtenção do livro digital é indiscutível e a nova geração vai consumir muito este tipo de leitura, mas ainda haverá muito espaço para convívio dos dois, pois sei como é bom entrarmos em uma livraria para uma leitura de livro infantil, por exemplo, permitindo que os baixinhos toquem e sintam diversos livros.
    Abs.

  • Estou lendo o segundo livro digital, aos poucos começo a me acostumar, pois é muito mais prático. Penso que é melhor comparar o preço dos livros digitais entre as livrarias. O 50 tons de cinza por exemplo, está 24,90 na Saraiva e na Apple sairia 28,32. Um homem de sorte está 19,99 e na Apple 23,96. Assim não vale a pena comprar na Apple.

    • Oi Leda, tudo bem?
      Entendi, claro, temos opção de aplicativos também.
      Somente levantei o questionamento tendo em base o surgimento da iBookstore por aqui, que sim vai aumentar muito a busca pelo formato e também comparar com o impresso, pois agora o assunto é digital vs. impresso. Daqui a pouco tempo, quando a leitura digital se popularizar no Brasil será o momento de comprar as lojas.

      Eu gosto do iBooks, é um excelente aplicativo com recursos bacanas, mas não posso negar que se em outra loja é mais barato valerá mais a pena.

      Tudo depende do App, dos recursos dele. O iBooks tem funções incríveis como o modo noturno, o destaca texto, etc.

      Fica a seu critério, faça a comparação.
      Eu prometo colocar isso no blog futuramente também.

      Um abraço.

    • Uma vez adquiridos os livros é possível localizar na internet meios para destravá-los para a leitura no iBooks. Também acho que há ofertas de livros digitais mais baratos que os ofertados pela Apple.

    • Olá Helimsa, tudo bem?
      Bom, concordo contigo que são caros e também acho interessante que eles fossem mais econômicos, mas gostaria de lhe comentar que você pode pesquisar, nos Estados Unidos eles custam a mesma coisa.
      O que estamos pagando é o custo intelectual da obra, não há super faturamento, não há nada de estranho no preço.

      Não podemos menosprezar o digital que possui um valor agregado.
      É tudo uma questão de opção, argumentei e mostrei que na prática os custos são os mesmos.

      Fiz depois de tanta conversa busca em lojas internacionais, o valor é absolutamente o mesmo, entre 10 e 20 dólares por exemplar digital.

      Um abraço.

    • Olá André. Veja bem, eu já adotei os ebooks, os acho excelentes. Mas falar que o que pagamos é o custo intelectual da obra é uma informação falsa. O que efetivamente chega ao bolso de quem escreveu esse livro é uma parcela muito pequena do preço final praticado nas lojas.
      Parabéns pelo blog, um abraço!

    • Olá Léo, obrigado pelo comentário.
      Você me entendeu em partes, eu disse que devemos “medir” o custo de um livro pelo valor intelectual da obra, não pelo papel, impressão, logística ou comissões. O valor do livro está no conteúdo. Entende?

  • Acho um abuso o preço dos livros digitais, um verdadeiro absurdo. Não tem o que justifique o preço de um livro digital custar quase o preço do livro impresso, que já é muito caro aqui no Brasil. O livro impresso tem um custo muito mais alto, precisa de papel, tinta, equipamento para imprimir e ainda precisa ser transportado da gráfica para a livraria, gerando muito mais custos do que o digital. E o livro impresso também necessita ser editado assim como o digital, pois antes de se tornar impresso, ele é digital.

    • Entendo sua reclamação Ciça, só quero lhe alertar que os preços dos livros digitais aqui são os mesmos dos Estados Unidos, entre 10 e 20 dólares aproximadamente.

      O livro impresso possui um tamanho normalmente pequeno, colocar milhares de livros num ônibus e cruzar o país não incide em um custo alto de transporte, este ponto está descartado, inclua R$1 por livro, podes encher um caminhão (30.000 unidades), nenhum transporte para qualquer ponto do país custará R$30.000.

      Outro ponto é a impressão, acredite, a maioria dos livros são preto e branco com algum detalhe como a capa em cores. Esse tipo de impressão em larga escala é baratíssimo, outro ponto que pode lhe acrescentar algo. Se a capa for trabalhada, tiver um tratamento especial pode chegar a custar R$3 ou R$4. Temos R$5 de diferença, tudo bem. Mas o valor real de um livro é o conteúdo dele, não o papel, não o transporte. Isto devemos ter em conta.

      Vou bater na mesma tecla, eu gostaria que fosse mais barato, mas não podemos sacrificar os livros digitais, o problema não é o formato.

      Um abraço.

  • André! Quero antes de tudo parabenizá-lo pelo blog.

    Como estudante de Medicina, livros são o meu dia a dia. Na minha estante tenho muitos e após comprar o Ipad, só adquiro livros que possuem versão digital. Li muito livros impressos e a transição para o Tablet foi natural e entusiasmante, tomei ainda mais gosto pela leitura. A apresentação do texto, das figuras e dos gráficos é muito mais convidativa e as ferramentas para destacar texto então, definiram por vez a minha opção pelo Tablet como meio preferencial de leitura, de textos em geral, livros e revistas. Isso sem contar a facilidade de carregá-los todos comigo e consultá-los na hora em que precisar. Aliás o uso do meu Ipad é praticamente leitura de livros/textos e internet, é triste dizer, mas chega a dar um desânimo em ter que ler um texto em papel. Concordo sim que os preços poderiam ser mais baratos, pois não há os gastos com impressão e distribuição e realmente não entendo porque os preços são praticamente equivalentes. A todos os leitores, aconselho-os a migrarem sem medo para o livro digital, o prazer da leitura é revigorado pela vivacidade e praticidade do texto em um Tablet.

  • A loja submarino costuma fazer inumeros descontos de livros e frete gratis para a maioria das regiões do Brasil. Se houver frete gratis e o livro estiver em promocao, ele sai mais barato que o digital, tirando o fato que essa loja especifica entrega em uns 2 dias

    • Bacana Flávio, a questão do preço foi somente o ponta-pé da discussão, gostaria que você desse mais uma olhadinha no texto.

      Expus que é tudo uma questão de gosto, se o preço é o mesmo ou varia pouco, o usuário é quem deve decidir o formato. Não é pelo preço que se deve comprar, é pelo gosto.

      Lembre-se, papel não vale nada num livro, o valor é intelectual, o conteúdo que a obra lhe oferece. A forma que você vai ler é de sua preferência.

      Um abraço.

  • André, também não sou expert em finanças, mas você citou gastos para ir comprar um livro em uma livraria (transporte, estacionamento, etc), temos que considerar também no preço do livro o preço do gadget (iPad nesse caso), claro que quem compra iPad não o compra apenas para leitura, assim como quem vai em uma livraria, não vai apenas comprar o livro, mas também pelo prazer de ir nesse local (preço inestimável)… enfim, quanto mais ebooks compramos, menos o preço do iPad incide no preço do ebook.
    Sobre na App Store de cada livro, acredito que pode-se sim chegarmos a patamares menores, basta que este meio torne-se mais popular

    • Perfeito Filipe, você tem razão, mas a questão do preço no texto foi somente o fator desencadeador da discussão. O livro impresso tem custos de papel e transporte, o digital tem valor agregado das ferramentas informáticas, o custo na verdade será praticamente o mesmo e vai do leitor a escolha pelo formato.

      Eu julgo “valer a pena” a partir do momento em que o livro digital custa igual ou menos e ainda oferece um valor agregado.

      Eu não acreditaria valer a pena se o livro digital fosse 20% mais caro, até essa faixa ainda julgo valer a pena, lembre-se dos benefícios, faça seu balanço de prós e contras.

      Sou fanático dos livros impressos, adoro, gosto de tê-los em minha biblioteca pessoal. Em nenhum momento do texto defendi o livro digital como única opção, levantei um questionamento e acho bacana que muitos participaram do debate como você. No final, prometi em frente a todos que darei uma oportunidade aos ebooks, deixarei o formato me surpreender, farei um teste lendo um livro completo nele.

      Um abraço, até mais.

  • Caro André,

    Muito bacana a sua pesquisa. Todavia, há que se considerar que o livro digital está muito caro quando comparado com o exemplar tradicional. O livro digital tem uma capilaridade enorme, não tem logística e o custo de produção por exemplar certamente é muito menor que o livro físico, mesmo se considerarmos os direitos autorais envolvidos.

    • Entendido Herbert, eu só acredito que o pessoal está muito focado em “ter que ser mais barato”, veja bem, um CD na época de ouro valia R$25, ele exigia os mesmos custos de um livro, diferente da impressão estava a mídia. Hoje com os discos digitais ele custa os mesmos R$25, ou até mais, um disco digital no iTunes (ou em outras lojas) gira em torno de 15, 20 dólares.

      Não podemos focar no custo de impressão + transporte, pensemos em valor intelectual da obra + conveniência do formato digital. Poucos são os que colocam os recursos do livro digital na balança, e lhe convido a ler os outros comentários, busque os que apoiam o digital. Veja como lhes facilita a vida, leia os argumentos deles também.

      Só isso, a fórmula numérica que elaborei foi somente para derrubar a idéia de que um ebook é “mais caro”, ele não é, a simples vista vemos que o custo é o mesmo, as vezes mais as vezes menos, depende da obra.

      Um abraço, obrigado por participar do debate.

  • Estou lemdo as crônicas de gelo e fogo no Ipad e como principais vantagens, na minha opinião, são não ter que carregar a versão impressa, que é pesada e ocupa muito espaço na minha mochila, como também poder aumentar o tamanho das letras no Ibooks.
    Apesar do preço ser maior vale o investimento.

  • Adorei, eu acho ótimo a idéia como também estou aguardando poder comprar shows de cantores e acabar com tanto DVD na minha vida, economizar papel, eu acho que ttodo tem que virar digital na vida.

  • Também tinha meus apegos ao livro impresso, em tê-los bonitos em minha estante para folheá-los quando quisesse e achava que nunca iria gostar de um e-book. Mas, ao vivenciar a experiência do livro digital nåo troco mais. Hoje minha estante do ibooks é que está cheia de livros e levo-os (todos!) para onde eu for, principalmente nas viagens longas, super prático e gostoso de ler. Amo!

  • Simplesmente, NÃO VALE!
    Todos aqueles livros que vc mencionou o pessoal comsegue de graça.
    Infelizmente esse é o nosso país. Deveria haver oncentivos para popularizar a leitura.

    • Consegue de graça sim, e isto pode acabar levando ao fim igual dos CDs, que praticamente sumir do mercado.

      Mas que incentivo a leitura podemos pedir? Livro já não tem imposto. Acho livro barato, consigo comprar livros por coisa de R$25. Um filme em blu-ray pago mais de R$80, um jogo do PS3 pago R$200.

      E tem montes de livros que o pessoal pega de graça. Se a gente não lê, é pq não queremos, não é mesmo?

  • Tenho diversos livros digitais, mas sou uma apaixonada pelo livro impresso. O cheiro, o toque, o modo como ele fica disponível na estante para todos. Em minha casa um livro é lido por no mínimo 3 pessoas e o ebook so por mim (além de é claro, uma vez por mês em media troco livros com amigos). Portanto penso nisto antes de comprar um ebook, a diferença é muito pequena e o livro não será dividido. Acho até um egoísmo.

    • Com relação ao empréstimo, se não me engano amazon tem um esquema onde você pode fazer algo do tipo com livros digitais. Nunca experimentei mas parece que o livro fica indisponível no seu dispositivo enquanto ele estiver no dispositivo de um amigo. Claro que para isso a pessoa que vai pegar o livro emprestado precisaria de algum equipamento para acessar o ebook, seja um computador, tablet ou leitor de ebooks.

      É uma idéia que as editoras poderiam implementar no futuro.

  • Eu tenho um kindle a dois anos e o iPad a alguns meses. Ainda acho o preço dos livros digitais muito salgado no Brasil porém já consegui abandonar o papel.

    O leitor anlista fez um comentário infeliz dizendo que pode levar um livro de papel para qualquer lugar sem depender de bateria. Ok, eu posso levar simultaneamente as Obras Completas de Freud, todos os livros da série “Crônicas de Gelo e Fogo” e até um dicionário para qualquer lugar (inclusive à praia) e, no caso do kindle, só preciso recarregar a bateria de 15 em 15 dias. É engraçado, tenho uma amiga formada em Letras que tem uma postura parecida com a do anlista: qualquer coisa que venha substituir um livro de papel é um sacrilégio. Deixe o tempo mostrar que estão errados.

    A leitura no kindle é mais confortável para os olhos e por isso prefiro ele quando o livro só contém texto. Para livros que contém diagramas, fotos ou então quadrinhos, prefiro o iPad.

    • Obrigado por compartilhar sua rica experiência com leitura digital Marcos, eu sempre tive uma queda pelo Kindle original, aquele de tinta digital, nunca comprei… me atrai o fato de ser ultra tech, quem sabe um dia para ter em minha coleção de gadgets.

      Um abraço.

    • André, se você costuma passar algumas horas lendo eu acho que vale a pena você considerar um kindle com a tecnologia de tinta digital.

      Eu, por exemplo, evito a todo custo ler algo no iPad depois das 22hs, isso porque a exposição excessiva a fontes de luz pode atrapalhar o sono. Como o kindle não emite luz, posso ler com uma lâmpada de cabeceira até o sono chegar

      A sensação é a mesma da leitura em papel e isso derruba o argumento que muitos usam contra os ebooks relacionado ao incomodo causado pelas telas de computadores ou ipads. Eu acho que agora só falta ao kindle um dispositivo que exale “cheiro de livro novo” para que os opositores fiquem sem argumentos. rs

      .

    • Marcos, é só inverter as cores, configurar com fundo preto e uma cor azulada para as letras, fica muito bom e esse efeito citado por você desaparece.

      Dá bem para ler num tablet, sim, mudando as configurações de cores.

  • Um problema que eu acho é o DRM.

    Eu comprei alguns livros na Saraiva que vem com o DRM da Adobe, mas que já existe a possibilidade de retirar (crackeando).

    Sem DRM eu consigo ler também no Kindle.

    Uma vantagem do papel é poder emprestar e pegar emprestado dos amigos.

    • É verdade Marcos, enfim, se você pagou pelo livro não vejo problema de retirar o DRM para poder ler no Kindle, se optar por trocar de marca. Palhaçada é não ter opção de ler os da iBookstore lá nele (e não terá), mas o contrário acontece. Se comprar os livros da Amazon pode ler no Kindle, iPad, Androids…

      Emprestar pode ser um próximo passo, será?
      Talvez assim, via iCloud o livro pudesse ficar “indisponível”, sinalado como “Emprestado”.
      É uma realidade muito possível, só basta saber se a Apple deseja isto.

      Um abraço.

  • Os livros digitais resolveram três problemas pra mim: na minha sala não cabia mais livros em papel, é muito cômodo pra ler à noite, sem atrapalhar o sono da esposa. E posso mudar o tamanho da fonte para ler, o que facilita muito, nem uso mais os óculos para ler.

    E livro em papel necessita de cuidado de conservação, limpeza e manutenção. Já tive livro que pegou umidade, e até uma vez apareceu um cupim num deles.

    Problemas com livros digitais vejo poucos.
    Infelizmente, livros antigos e livros técnicos, ainda é meio complicado comprar. Se bem que, neste caso, livros antigos e encadernados tem um charme especial que nunca um tablet irá superar.

    Pra ler texto, sem dúvida prefiro os livros digitais. Mas, apesar da qualidade da tela Retina, livros de arte e de culinária, por exemplo, onde o tamanho importa, infelizmente é melhor comprar o livro em papel ainda.

    Onde o Novo iPad é imbatível, é para apreciar quadrinhos, recomendo.

    No resumo, livro digital é muito melhor, de forma geral, ainda que o preço da edição impressa seja igual.
    Já tenho talvez uma centena de livros em formato digital, e não me arrependo nada. Se tivesse comprado estas edições em papel, mal teria onde armazenar, teria de ter gasto com mais estantes e talvez até reforma na casa.

    • Bacana Wilson, gostei do seu ponto de vista.
      É assim mesmo, tem livro que não dá para ser digital, precisa ser impresso, mas outros que podemos comprar ebooks.

      Tudo é questão de balanço, não precisamos optar por um ou outro, podemos comprar dos dois tipos, depende o livro, depende o momento e tudo mais.

      Um abraço.

  • Sou a favor de livros digitais, a sustentabilidade é inigualável, além de tantas outras vantagens, ainda no iBooks, é possível ter aquele prazer de virar a pagina ( virtualmente, é claro) E o iBooks 2 trouxe ainda mais elementos como ter animações e videos dentro de um livro, ou então em apps separados, como um da Editora Globo, disponível pra iOS, além do Kindle App…

  • Não contesto a praticidade do livro digital, mas não entendo como pode haver tanta diferença de preço aqui no Brasil.

    iTunes store:
    Brisingr em inglês: U$ 9.99
    Coleção Eragon, Eldest e Brisingr em inglês: U$ 24.99
    Brisingr em catalão: U$ 5.99
    Brisingr em espanhol: U$ 5.99
    Brisingr em português: U$ 18.99!!!

    O mais caro é o nosso, como sempre. Sem contar que o livro físico estava em promoção mês passado no submarino por R$ 9.90!

    • Antônio, se não me engano os livros são isentos de impostos e em setembro essa isenção foi estendida aos livros digitais. Claro que a burocracia contribui mas eu acho que, no caso dos livros digitais, o maldito “lucro Brasil” também pesa bastante.

    • Olá Antônio, não tem imposto em nada nisso amigo. O livro é vendido lá na Califórnia e os impostos caem depois da conversão (IOF).

      Não sei o motivo Fernando, eu diria que é o custo Brasil (como o Antônio), mas tiraria o imposto, só deixaria a cara de pau mesmo.

      Abraço.

  • Bom artigo, André!
    Eu sou um grande defensor do formato digital para música e livros., sobretudo pela praticidade e pelo bem do meio ambiente. Mas pode ser paradoxal o fato de que eu, assim comi a minha esposa, adoro passear em livrarias, perder um bom tempo pesquisando, lendo as orelhas e contracapas, sentindo o cheiro dos livros novos e até tomar um cafezinho nesses ambientes. O advento do livro digital poderá matar as lojas físicas, assim como aconteceu com as lojas de discos. Em Salvador mesmo praticamente não existem mais lojas de Cds, uma pena.
    Não esqueçamos que a Amazon tá desembarcando logo e possivelmente a Google vai abrir sua Playstore completa com livros e música no Brasil. O mercado vai ferver!
    Grande abraço.

    • Olá Gustavo, estou 100% de acordo com você. Essa é a magia dos livros, eles não tem somente conteúdo, possuem cheiro, capas que lhe dão toda uma experiência.

      Mas agora, com a nova realidade, teremos que colocar isso em jogo. Eu ainda votaria pelo “impresso + digital” com um pequeno incremento no preço para o pacote.

      Que achas?

  • compro livros digitais desde que comprei meu ipad há mais de 1 ano…o formato é ótimo e a leitura é prazeirosa.
    ibookstore é mais cara comparada com livros digitais vendidos por outras livrarias…fiz a comparação e comprovei portanto por mais que goste da apple vou continuar comprando livros digitais nas nossas livrarias tupiniquins!

  • Oi André;
    O livro digital é, sempre, mais barato que o impresso, é lógico, a não ser nessas promoções. A questão a se colocar é se os livros digitais vendidos pela Apple são mais baratos ou mais caros que o encontrado em outras livrarias, como a Saraiva, O Gato Sabido, a FNAC e mesmo a Cultura, que não prima pelos preços baixos mas em matéria de livros digitais se iguala às outras. Temos que comparar preços de livros digitais da Apple com os vendidos em outras lojas. Todas as boas livrarias trabalham com livros digitais e oferecem programas que permitem lê-los em todos os leitores de e-books de qualidade, como é o caso do iPad.
    Quanto a questão de “gosto”, acho que o iPad é quase tão bom que o Kindler, da Amazon, sem dúvida o melhor leitor de e-books do mundo, pelos recursos que apresenta. Por outro lado, atualmente os livros digitais editados no Brasil tem uma ótima formatação, o que não acontecia até a bem pouco tempo atrás e que os tornam muito agradáveis de ler, com recursos que os livros físicos não possuem, como escolha do tamanho da letra. Livros para estudo, que exigem que se consulte páginas na frente ou se volte para trás, o de papel é insubstituível. Mas para romances, o digital é muito melhor.

    • Clovis, você levantou um assunto bacana para um artigo, vou investigar mais sobre o assunto preço da Apple vs preço das concorrentes no livro digital.

      Pois bem, esse “valor agregado” que você se refere foi o que tentei levantar no post, está bem que o impresso tem custo de papel e frete, isso é normal e bem baixo por sinal (em livros comuns), mas o digital tem todos os extras que ajudam na interação e leitura.

      Um abraço.

  • Anlista, leia a matéria inteira antes de falar besteira. Foi exposto o exemplo de caso você opte por comprar na livraria, implicará em outras despesas também além do tempo desperdiçado.
    Outra coisa: a comparação é a seguinte: estou na frente do computador e quero comprar um livro. Quais as minhas opções? Compra Virtual X Ebook.
    Ou ainda, não quero ou não tenho tempo de ir a uma livraria. Quais as opções? Compra Virtual x Ebook.

  • Parabéns pela matéria. Atualmente só compro livro digital, estou adorando ter uma biblioteca nas mãos a qualquer hora e lugar. O app ibook dá de mil a zero no app da saraiva. O da saraiva vive travando, é lento… O ibook é fantástico.

  • Concordo com a colocação de que, se pensarmos na nos custos de impressão logística, margem de lucro da livraria e etc., o preço do Ebook deveria ser significativamente mais baixo.

    Porém a questão do valor agregado é um Grande diferencial (o mais importante) e desta forma a balança pode pesar para um lado ou para outro, dependendo do quão importante são estes diferenciais.

    Minha experiência atual é a seguinte: estou lendo atualmente 2 livros: um impresso e um digital, ambos equivalentes em número de páginas (800pag. Aprox)
    Em casa tenho tido pouco tempo para leitura e na boa, não vou ficar carregando um livro de 800 pág. na mochila além da tralha que já carrego (que o inclui um iPad.). Conclusão estou lendo MUITO mais o Ebook do que o impresso, apesar de a história do impresso ser mais interessante.

    Isto exposto, considera a minha realidade, o diferencial de praticidade do Ebook é MUITO importante e vale a pena pagar por isso.

    Em tempo: num mero iPad, carrego um livro de 800pag., um jornal (edições da seja a toda) e 3 revistas com edições de meses). Se eu fosse carregar isso tudo na mochila….

  • Parabéns pela matéria, gostaria de acrescentar que o espaço físico para guardar os livros impressos se torna um grande problema com o passar dos anos.

    • Pois então Luiz, agradeço muito o comentário. Com certeza, pode ser problema para uns e motivo de orgulho para outros. Eu sou um grande admirador de bibliotecas pessoais, como comentei no texto, para mim trocar de formato será uma experiência e tanto pois sou adepto da leitura e gosto de conservar cada um de meus livros como troféus. São parte de minha história.

      Um abraço.

  • Olá André
    Nós sempre procuramos aquele desconto, também não é a toa pra isso existe pesquisa de preço, sera uma questão de tempo para esta transição acontecer logo se Vera muito isso pessoas fazendo leituras digitais, um exemplo, pessoas que tem fascínio por aquele livro tão adorado amigo de todas as noites um dia ele ira se desgastar, então recorra ao digital, voltando aos preços, bom e sempre interessante dispor o que é mais em conta, por exemplo foram exibidos alguns livros digitais mais baratos que os impressos, voce vai pagar mis caro? Nao né?
    Enfim no final o nosso bolso sempre vai agradecer um desconto aqui outro ali! Nao achas?
    Quando sai o resultado da promoção André?

  • Que matéria idiota bicho! Você não pode incluir o preço do frete para efeito comparativo a não ser que vc more em uma selva que não possui nenhuma livraria!
    Blza, só provou que para todos os casos é melhor comprar o livro físico que é bem mais agradável aos olhos, não depende de bateria e posso levar pra ler em qualquer lugar, por exemplo, uma praia, e ainda émais barato que o ibook.
    Ps:na próxima, chapa, considere supor que os leitores ainda não são gordos enormes e conseguem pelo menos dirigir até o shopping mais próximo para comprar o livro